13 dezembro 2007

O que há de errado com a formação dos jornalistas?

Post publicado pelo professor Marcos Palácios no Blog do GJOL destaca a palestra do Prof. Koldo Meso, da Universidade de País Basco na Espanha, sobre as condições para o ensino de jornalismo e qualificação dos novos profissionais para as, digamos, novas relações de trabalho e produção.

Conforme o texto de Marcos Palácios, "no terceito dia do Mini-Curso sobre Tendências e Cenários Futuros do Jornalismo na Internet, em andamento na Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia, o Prof. Koldo Meso, da Universidad del País Vasco (Espanha), falou sobre os processos de adaptação do ensino do jornalismo à nova situação de produção para múltiplas plataformas e assinalou o que já foi feito e o que está por ser feito".

A condição de "jornalista multimídia" tem sido continuamente ratificada nas aulas de ciberjornalismo ministradas pelo professor Gerson Luiz Martins na UFRN. Soma-se a esse aspecto, o domínio do instrumental da informática, principalmente no que diz respeito a banco de dados, softwares de aplicação gráfica e linguagem php, como referência principal, junto com banco de dados, para administração de informações na rede.

Cobertura completa do Mini Curso está no Blog Herdeiro do Caos, de Yuri Almeida.

12 dezembro 2007

Projeto ambiental de deputado em Mato Grosso do Sul prevê proteção ao mar e litoral

O jornal Correio do Estado desta quarta-feira, 12 de dezembro, publica notícia, de autoria da jornalista Eliane Ferreira, sobre o projeto de lei de autoria do Deputado Youssif Domingos (PMDB) que prevê proteção às áreas de marinha e litoral do Mato Grosso do Sul, estado situado na região do cerrado brasileiro e sem acesso ao mar.

O projeto em questão, segundo matéria do Correio do Estado, é cópia fiel do projeto aprovado pela Assembléia Legislativa do Rio Grande do Sul há sete anos e que hoje se constitui no Código Estadual do Meio Ambiente, Lei 11.520. O fato demonstra que os problemas de plágio não atingem somente estudantes e a classe artística. Na política há muitos projetos que o fazem descaradamente.

Fatos como esse demonstram o desrespeito e a truculência de certos políticos, que muitas vezes têm a cobertura da corporação.

Veja a matéria do jornal Correio do Estado aqui.

Especialistas da Espanha debatem em Salvador tendências do Jornalismo na Internet

Por Marcos Palácios

"Tendências e Cenários Futuros para o Jornalismo Digital" é o tema do debate que terá lugar na sexta-feira (dia 14), às 14:30 h., na Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia, envolvendo seis dos maiores especialistas espanhóis em cibermeios, atualmente em visita acadêmica à Bahia.

O evento contará com as presenças dos professores Javier Díaz Noci (Universidade del País Vasco); Guillermo López (Universidad de Valencia); Koldo Meso (Universidad del País Vasco); Pere Masip (Universidad Ramón Llull); Bella Palomo (Universidad de Málaga) e Charo Sádaba (Universidad de Navarra).

A sessão é aberta ao público, gratuita e faz parte das atividades do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura Contemporâneas, através do Convênio de Colaboração Brasil-Espanha, apoiado pela CAPES e DGU.

10 dezembro 2007

Consumidor paga mais por distribuição de energia do que por consumo


Em Mato Grosso do Sul o consumidor paga mais caro a distribuição da energia elétrica do que o próprio consumo. Conforme discriminação nas contas de energia elétrica da Enersul, que poucas vezes observam - ficam mais no valor total a ser pago, o preço da distribuição da energia é maior do que aquilo que o cidadão consome.

A pergunta que fica é: de quem é a responsabilidade dos custos de distribuição? Está correto cobrar do consumidor 120% pela distribuição em comparação ao que é de fato consumido? O serviço de distribuição de energia não deveria ser apenas uma taxa na conta?

Depois das privatizações das empresas de energia elétrica e de telecomunicações, o cidadão é penalizado diariamente. Os custos da telefonia, dos serviços de comunicação em geral e da energia elétrica foram periódica e amplamente reajustados sem qualquer controle do governo e muito menos do cidadão. Os lucros, mês após mês, ano após ano das empresas concessionárias têm sido exorbitantes e transformaram essas empresas nas mais rentáveis em todo mundo. Não é de se admirar que grupos empresariais brigam pelo controle dessas empresas.

De outro lado, o poder judiciário, quando chamado a dar uma basta no processo de lucros sobre lucros das empresas e ajustar a qualidade do serviço, levam décadas e nunca favorecem o cidadão. O poder público, que deveria fiscalizar esses serviços por meio das agências reguladoras, não o faz, ao contrário, essas agências se transformaram num quintal dos interesses dos grupos empresariais controladores das concessionárias de energia e de telefonia.

Cabe ao cidadão ficar alerta e infligir às empresas processos nos tribunais de pequenas causas.


Na foto acima, os débitos estão discriminados da seguinte forma:
- Energia Elétrica: R$ 45,11 (consumo efetivo)
- Serviço de Transmissão: R$ 5,55
- Serviço de Distribuição: R$ 63,22

Internet de alta velocidade é muito cara no Brasil


Da Folha OnLine Informática

O usuário brasileiro de serviços de alta velocidade de acesso à internet paga muito mais caro do que os internautas do exterior, conforme levantamento feito pela TelComp (Associação Brasileira de Prestadoras de Serviços de Telecomunicações Competitivas).

Há casos em que a assinatura mensal de serviço de 1 Mbps no país custa quase 400 vezes o preço cobrado no exterior.

Na Itália, a Tiscali cobra o equivalente a R$ 4,32 ao mês pelo serviço de 1 Mbps. Na França, a Orange cobra R$ 5,02. Nos Estados Unidos, o preço da Time Warner é R$ 12,75. Os usuários japoneses podem adquirir a banda larga de 1 Mbps do Yahoo! por R$ 1,81. No Brasil, a TelComp levantou os preços de Telefônica, Net, Brasil Telecom e Oi.

Segundo a associação, a Net cobrava em São Paulo, em julho, R$ 39,95 por pacote de 1 Mbps e a Telefônica, até R$ 159,80. A Brasil Telecom cobrava até R$ 239,90.

Manaus registrou o valor mais alto, pela Oi: R$ 716,50 --a conexão é feita por satélite e, por isso, mais cara -o que é equivalente a 395 vezes o valor cobrado no Japão, segundo calcula a TelComp. Os valores foram pesquisados pela TelComp nos sites das operadoras, em julho.

Para o presidente da TelComp, Luiz Cuza, o governo deve implementar ferramentas de competição e atuar de forma firme nas questões de fusões e aquisições do mercado. "A concorrência propicia melhores preços e serviços", diz, em comunicado enviado por sua assessoria de imprensa.

09 dezembro 2007

Diretoria do FNPJ publica Chamada de Trabalhos para 11º Encontro Nacional de Professores de Jornalismo


A diretoria científica do Fórum Nacional de Professores de Jornalismo e a Comissão Organizadora Local do 11º Encontro Nacional de Professores de Jornalismo publicaram a Chamada de Trabalhos para o evento que acontece em São Paulo, na Universidade Mackenzie, entre os dias 18 e 21 de abril de 2008. O tema central do evento será "Perfil e condições para o exercício da docência em Jornalismo". A conferência de abertura será realizada pela professora da Escola de Comunicações e Artes da USP, Cremilda Medina.

O 11º Encontro Nacional de Professores de Jornalismo terá ainda a realização do 1º Colóquio Ibero-americano de Professores de Jornalismo, para o qual estão convidados os professores José Marques de Melo (Brasil), Ramón Salaverría (Espanha), Nelson Traquina (Portugal), Thomas Bass (Estados Unidos) e Paulina Beatriz Emanuelli (Argentina).

As inscrições de trabalhos vão até o dia 31 de janeiro de 2008. Os coordenadores de GT tem até o dia 17 de fevereiro para encaminhar os aceites e os autores até o dia 3 de março para efetivar a sua inscrição.

Mais informações no sítio web do evento, no endereço: www.fnpj.org.br/11enpj.

Cidade Morena suja e abandonada

Campo Grande (MS), também conhecida como Cidade Morena vive momentos de completo abandono pela administração municipal. Caminhar ou trafegar pelas ruas da cidade é um exercício de paciência, um desafio para veículos e pedestres.

Na principal via pública comercial da cidade, Rua 14 de julho, há lixo acumulado nas sarjetas que coloca em risco a saúde e o bem estar da população. É impressionante a quantidade de copos plásticos, papel, papelão espalhado nas calçadas e sarjetas da rua.

Se o cidadão trafega de carro, vai se incomodar com a necessidade de parar em todas as esquinas que possuem semáforo. Como não há sincronização desses equipamentos, o motorista gasta combustível, tempo e deve ter muita paciência. É impressionante, pois o problema foi objeto do noticiário e a prefeitura municipal não realiza qualquer ação para resolver o problema. O tráfego de veículos na Cidade Morena é travado!

E esse não é o único problema para os motoristas e pedestres. A maior parte das ruas, das vias da cidade parecem uma "colcha de retalhos", o asfalto foi tantas vezes remendado que os veículos têm, com freqüência, problemas nos amortecedores. É muito complicado trafegar pelas ruas da cidade.
Essas situações provocam a sensação - talvez muito real - que a cidade está abandonada pelo poder público municipal.
O prefeito de Campo Grande, Nelson Trad Filho, deveria deixar seu marketing pessoal de lado, de freqüentar as colunas sociais e abastecer de recursos públicos os colunistas sociais, e tratar de zelar pela cidade, que é de sua responsabilidade e para o que foi eleito.

01 dezembro 2007

Universidades não preparam jornalistas para as novas realidades

Alex Gamela, em O Lago, entrevista Antonio Granado, editor da edição online do jornal português Público, que recentemente lançou uma nova versão de seu site, com uso de vídeos e outras novidades.

Alguns trechos da entrevista:
"É evidente que a maioria das universidades não está a preparar os estudantes para as novas realidades. A título de exemplo, ainda se faz uma divisão entre o ensino do jornalismo escrito, radiofónico e televisivo, uma aproximação tipo século XX, já desactualizada".

"É preciso treinar os jornalistas para as tarefas que o novo jornalismo exige, é preciso fazê-lo com o apoio dos jornalistas e não contra eles. Em muitos sítios isto não está a ser feito".

"Penso que não há ainda jornalismo participativo em Portugal".

"O jornalista do futuro é alguém que consegue olhar para uma estória e contá-la da forma mais eficaz. Que se preocupa mais com os leitores e não tanto com as suas fontes".

Leia a íntegra da entrevista.

Por Marcos Palacios

27 novembro 2007

Protocolo de Guadalajara fortalece comunidade ibero-americana de ciências da comunicação

Por Prof. José Marques de Melo

Fortalecer a “comunidade ibero-americana”, com o desafio de superar a “condição periférica” que a megaregião ocupa hoje no seio da "comunidade mundial" das ciências da comunicação, foi o compromisso assumido pelos representantes de 8 associações acadêmicas de 5 países-chave.

Reunidos na Universidade de Guadalajara, México, no dia 23 de novembro de 2007, pesquisadores da Espanha, Portugal, México, Brasil e Argentina anunciaram a intenção de fundar uma Confederação de Associações Acadêmicas de Comunicação para “preservar, fortalecer e potencializar a identidade cultural ibero-americana”, frente ao desafio da “globalização política e econômica em processo”.

O movimento foi respaldado por pesquisadores do Chile, Venezuela, Cuba e Porto Rico, presentes no X Congresso Ibero-americano de Comunicação, recomendando a nova direção da Associação Ibero-americana de Comunicação, presidida pelo pesquisador mexicano Enrique Sánchez Ruiz, liderar a construção desse “espaço de coordinação estratégica e articulação orgânica” na arena internacional, sem prejuízo do “reconhecimento e valorização da diversidade nacional, regional o local”.

Para dar continuidade a esta aspiração coletiva, os membros ou representantes de associações nacionais como INTERCOM (Brasil), AMIC y CONEICC (México), FADECCOS (Argentina), AE-IC (España) e de organizações internacionais como ALAIC (sediada na Bolívia), ULEPICC (sediada na Espaha) e AssIBERCOM (sediada em Portugal) propõem duas ações estratégicas:

a) fundar a Confederação Ibero-americana de Associações Acadêmicas de Comunicação – CIBERAMERICOM – na constituição da qual estão convidadas todas as associações regionais ou nacionais congêneres – FELAFACS, ABOIC, COMPÓS, SOPCOM, etc.
b) promover periodicamente o Congresso Mundial de Comunicação Ibero-americana – ORBIAMERICOM – com a finalidade de disseminar o conhecimento de ponta gerado em cada país, região ou comunidade particular, visando sua ampla difusão e aplicação; além de avaliar as tendências da pesquisa comunicacional ibero-americana, visando sua comparação com outras comunidades geopolíticoculturais; divulgar em cada país e junto a comunidade mundial do campo a unidade na diversidade do pensamento comunicacional ibero-americano; e também criar mecanismos de cooperação intraregional que podem fortalecer a identidade cultural ibero-americana, fomentando sua projeção internacional.

A agenda para institucionalizar este processo inclui as seguintes etapas:

Fevereiro 2008 – Encontro preparatório para definição da natureza da confederação , durante o I Congresso da AE-IC, no campus da Universidade de Santiago de Compostela, Espanha;

Outubro 2008 – Encontro intermediário para discussão da estrutura da confederação, durante o IV PANAMERICOM, no campus da Universidade Mayor, Santiago de Chile;

Abril 2009 – Assembléia fundacional da confederação na cidade-sede do XI IBERCOM, que pode ser no campus de la Universidade de Ilha da Madeira (Portugal).

Abril de 2010 – Realização do I Congresso Mundial de Comunicação Iberoamericana – ORBIAMERICOM 2010 - planejado para celebrar o bicentenario do processo de descolonização ibero-americana, possivelente no campus do Instituto Tecnológico de Monterrey, México.

O “Protocolo de Guadalajara” foi firmado inicialmente por 8 investigadores que ocupam funções de liderança: José Marques de Melo (Brasil), Luis Humberto Marcos (Portugal), Rodrigo Gómez (México), Francisco Sierra (España), Guillermo Mastrini (Argentina), Francisco Martinez (México), César Bolaño (Brasil), Luís Albornoz (España) y confirmado por 12 reconocidos académicos como: Enrique Bustamante (España), Enrique Sánchez Ruiz (México), Lucia Castellon (Chile), Eliseo Colón (Puerto Rico), José Carlos Lozano (México), Eduardo Vizer (Argentina), Delia Crovi (México), Florence Toussaint (México), Aymée Veja Montiel (México), Ramón Zallo (España), Migdália Pinedo (Venezuela) y Mário Nieves (Cuba).

25 novembro 2007

Cresce número de usuários Mac no Brasil

O número de usuários de equipamentos Macintosh cresce geométricamente em todo país. Um sinal dessa demanda é percebido de forma sensível nos aeroportos. O saguão de embarque dos aeroportos é um indicativo do uso de equipamentos de informática portáteis em qualquer país.

Em recente passagem pelo aeroporto de Congonhas pode-se constatar pelo menos 6 usuários com equipamentos da Apple. Muito recentemente era muito raro encontrar notebooks da Apple. Esse fato demonstra o crescimento da plataforma no país e a satisfação dos consumidores com o sistema.

24 novembro 2007

Transporte aéreo no Brasil e a novela do caos

A companhia aérea brasileira TAM faz dos clientes um joguete. É absurdo o que sofrem os passageiros em muitos aeroportos do país. Vôos são cancelados, atrasos sem qualquer justificativa. Contudo, um dos maiores problemas das empresas aéreas brasileiras está na ausência completa de informação aos passageiros.

Por esse e tantos outros motivos é que percebemos como a informação é um bem valioso para o cidadão contemporâneo. Sem informação o homem fica refém dos acontecimentos e dos outros homens. E esse tem sido o problema mais grave na aviação brasileira.

A situação dos aeroportos e vôos vai entrar em caos novamente neste final de ano. Em novembro, os aeroportos estão abarrotados e empresas aéreas e funcionários, como dizem, "mais perdidos que cego em tiroteio". E se não fosse apenas essa "zona" e desrespeito para com o cidadão, deliberadamente os funcionários, orientados pelas empresas, vão tratar o passageira da forma que mais lhe convier e, naturalmente, for mais lucrativo.

O cidadão deveria dar uma resposta e evitar viajar neste período.

23 novembro 2007

Hotel Serhs provoca chuva o ano todo em Natal

O hotel Serhs, do Grupo espanhol Grup Serhs, consegue fazer chover 365 dias por ano em Natal. O hotel tem duas galerias, de frente para a areia da praia, uma em cada ponta do prédio em que está sinalizado, na boca dessas galerias, "águas pluviais"ou "pluvial water". Acontece que essas galerias jogam água na praia todos os dias, durante todo o ano, mesmo na época de seca, que vai de setembro a março.

No mínimo é curioso como essas "águas pluviais" conseguem fluir liquido mesmo sem precipitação pluviométrica. Interessante observar que, na boca de saída dessas galerias, há uma coloração negra. Acredita-se que seja algum tipo de tratamento dessas "águas pluviais".


Quem será que o hotel quer ludibriar? Pode ser tanto os turistas brasileiros, o aviso está em português, quanto os turistas estrangeiros - o aviso está em inglês - que é a maior demanda do hotel.
Ironias à parte, o fato é que o hotel Serhs de Natal despeja água poluída - esgoto, água servida - na praia, junto aos banhistas, hóspedes do hotel. Para não criar constrangimentos, resolveu enganar as pessoas e informar, pelas indicações, que é água de chuva.

Todos devem se perguntar que água é aquela que jorra incessantemente na praia, mesmo nas épocas de seca?

Seria cômico, se não fosse trágico ou mais, caso de desrespeito ao ambiente, aos turistas, às pessoas e hóspedes do próprio hotel.

O leitor que faça seu julgamento, ou então se hospede no Grand Hotel Serhs de Natal. O endereço na internet é www.serhsnatalgrandhotel.com.

17 novembro 2007

Novo presidente da SBPJor toma posse em Aracaju

Com informações do sítio web do 5º SBPJor

Depois de três dias de intensas discussões sobre as metodologias de pesquisa no jornalismo, chega ao fim a quinta edição do Encontro Nacional de Pesquisadores em Jornalismo, que desta vez foi sediado na cidade de Aracaju – Sergipe. A última atividade formal do evento foi a posse da nova presidência da associação, que agora é comandada pelo professor da Universidade Federal de Sergipe, Carlos Eduardo Franciscato.

Logo após a leitura da ata de eleição da gestão que comandará a SBPJor até 2009 e que elegeu o doutor Franciscato por unanimidade, o novo presidente fez seu primeiro pronunciamento. “Agradeço a todos os colegas que em mim depositaram votos de confiança. Tenho certeza que a nossa entidade cresceu muito nesses últimos quatro anos. A nossa proposta, daqui pra frente, é continuar com essa visível expansão”, disse.

“Apesar de ser uma entidade nova, a SBPJor já mostrou ser competente e representativa para atender a um campo de jornalismo que antes era disperso e fragmentado em várias ações”, complementou Franciscato.

Para o professor, a eleição de um representante da Universidade Federal de Sergipe afirma que no Nordeste há pesquisa qualificada no jornalismo. “Significa que aqui há um espaço de grupos de pesquisa que possuem representatividade nacional. Mas é claro que a presidência é um ato simbólico e administrativo, mesmo porque as ações se fazem por meio de parcerias. Nesse sentido, o papel do presidente é de um grande articulador”, pontuou o doutor.

15 novembro 2007

Alunos de jornalismo e a desmotivação profissional

Uma observação pela demanda nos vestibulares para os cursos de Jornalismo no Brasil confirma uma tendência singular dos últimos anos, há uma sensível diminuição da procura dos estudantes pelos cursos de jornalismo. 


Muitos cursos, fechadas as contas da relação candidato/vaga para o vestibular de verão 2008, um dos mais tradicionais no país, revelam que os cursos de jornalismo experimentam uma relação de 1:1, ou seja, um candidato para cada vaga. Nos cursos mais deficitários, que foram criados às dezenas no país, pelo afã do ex-ministro Paulo Renato em colocar todos os alunos entre 17 e 24 anos no ensino superior, a situação é ainda pior. Não há preenchimento das vagas.

Mesmo nas universidade públicas federais, a diminuição da demanda é sensível. É importante lembrar que o curso de jornalismo, devido ao seu suposto "status social", sempre esteve entre os 5 (cinco) cursos mais procurados na maioria das universidades, em algumas, inclusive, como o mais procurado. Informações recentes na internet mostra que o curso de jornalismo da Fuvest foi o mais procurado. Também é importante destacar, nesse caso, que o número de vagas oferecida pela USP é muito pequeno. Assim, essa demanda é falsa.

O maior problema para essa desmotivação está na crise que passa a atividade profissional e, devido às pressões das instituições de ensino privadas, um fechar-se em si de professores e coordenadores de curso. A maioria está alheia aos debates e possibilidades inovadoras para os cursos de jornalismo porque as IES não apoiam qualquer possibilidade de qualificação dos seus professores.

É imperativo uma ação enérgica de professores, profissionais e pesquisadores em prol da qualificação dos cursos de jornalismo, do envolvimento dos estudantes de jornalismo com as ações político/profissionais. Se isso não acontecer, a sociedade perde um dos seus principais pontos de garantia das liberdades democráticas. Nesse aspecto, a implantação do Conselho Federal dos Jornalistas é condição básica para o fortalecimento da profissão e sua democratização.
______________________
Redigido no aeroporto de Salvador, às 3h38, na espera de conexão para Aracajú, para o 5º SBPJor.

14 novembro 2007

McCombs participa do 5º Encontro Nacional de Pesquisadores em Jornalismo

O professor Maxwell McCombs, da Universidade do Texas, em Austin, que fará a conferência de abertura do 5º SBPJor, virá pela primeira vez ao Brasil e fará conferência sobre "Creating a New News Opportunities on the Internet for Broader and Deeper Journalism", em Aracajú (SE), no dia 15 de novembro.
Jornalista profissional, com doutorado na Universidade de Stanford, na Califórnia, um dos formuladores da teoria da Agenda Setting, Maxwell McCombs é um dos principais teóricos do jornalismo na atualidade. Depois de abrir o congresso em Aracaju, McCombs participará de atividades como pesquisador convidado do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal de Pernambuco, em Recife, entre os dias 19 e 22 de novembro.
Entre os livros mais recentes de McCombs estão Setting the Agenda: The News Media and Public Opinion (2004), The Two W’s of Journalism: The Why and What of Public Affairs Reporting (2003), com Davis Merrit, e Research in Mass Communication. A Practical Guide (2000), escrito com Paula Poindexter.
_________________________________________
Com informações do sítio web do 5º SBPJor

Revista Mac + tem sérios problemas de distribuição e assinatura

O Grupo Domo, responsável pela Editora Digerati, ainda não resolveu o problema de distribuição e assinatura da única revista especializada em Macintosh no Brasil, a MAC +. Depois que a nova edição é divulgada na internet, no sítio web da revista, em aproximadamente 30 dias ela chegará nas bancas. Para uma revista de periodicidade mensal, é quase que uma nova edição na saída da gráfica, sem que a edição anterior esteja nas bancas.

O serviço de assinaturas também é muito precário e, simplesmente, não há atendimento. Em 10 de outubro recebi a confirmação, inclusive com código de assinante, de novo período de assinatura. Estamos em 14 de novembro e até o momento nenhum sinal dos exemplares da revista e muito menos dos boletos para pagamento. Menos mal, pelo menos não paguei por algo que não recebi!

É de fato lamentável que a única revista sobre Mac no Brasil tenha esses problemas. Infelizmente ele não é novo. A editora que publicava anteriormente padeceu dos mesmos problemas.

Em sentido oposto, o número de usuários de Mac e a venda de MacBook, iMac e outros equipamentos da Apple aumentam dia após dia. As lojas especializadas em informática comprovam esse aumento da demanda.

13 novembro 2007

Mensalão da Imprensa em Mato Grosso do Sul - Nota do Sindjor-MS


O Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Mato Grosso do Sul (SINDJOR/MS), na qualidade de representante da categoria no estado, vem a público manifestar seu posicionamento a respeito dos recentes acontecimentos veiculados por alguns meios de comunicação locais, no que se refere ao suposto esquema de desvio de verbas públicas para instituições, empresas e pessoas ligadas ao segmento da mídia durante o governo do então chefe do executivo José Orcírio dos Santos. O episódio está sendo tristemente denominado de "mensalão da imprensa" e é alvo de oportuna investigação do Ministério Público Estadual (MPE).

Independente dos resultados conclusivos do trabalho desenvolvido pelo MPE, lamentavelmente tal episódio já pode ser classificado como uma mácula na história midiática regional, uma lamentável mancha na trajetória deste estado tão jovem e agora possuidor deste trauma profundo. A despeito dos profissionais sérios que atuam nos diversos segmentos da comunicação social, que buscam exercer suas tarefas diuturnas com dignidade, os fatos apresentados demonstram a fragilidade de um modus operandi construído à base de relações fundamentadas na ganância desenfreada e na certeza da impunidade e da omissão dos órgãos investigativos. Como seqüelas, a auto-estima dos jornalistas que sustentam seu ofício sobre o alicerce da ética é letalmente combalida, deixando-os perplexos e impotentes diante de um quadro aparentemente tão deplorável. Há de se mencionar também o golpe que isso representa na luta pelo fortalecimento da classe, pois em vários dos postos de trabalho portadores destas suspeitas, atuam repórteres, editores, redatores, repórteres fotográficos e cinematográficos, diagramadores e ilustradores, batalhadores do dia-a-dia e vítimas de uma falsa liberdade de imprensa, obtida a custo justamente destas ligações perigosas.

No entanto, o SINDJOR/MS vislumbra nesta crise generalizada, há muito tempo anunciada pela entidade em vários encontros e palestras, uma oportunidade para se repensar velhos paradigmas, reavaliar valores e práticas cristalizadas na imprensa local. É a chance para se iniciar um processo de depuração do chamado mercado de trabalho, meta e sustentáculo de acadêmicos e profissionais de jornalismo. Trata-se de uma abertura que pode ser utilizada para a gênese de uma grande reviravolta moral. Para isso, entretanto, é imprescindível que jornalistas, estudantes e sindicato se aglutinem em torno da salvação imediata da nossa atividade, que, pelas mais diversas razões, escolhemos para nossas vidas. O SINDJOR/MS convoca os jornalistas profissionais deste vasto Mato Grosso do Sul a se rebelarem contra o atual estágio em que se encontram as relações entre empresas de comunicação e poder público, e ajudarem a reconstruir os pilares do jornalismo praticado sobre um solo pavimentado pelo respeito. Este sindicato tem a certeza que tal mudança de atitude vai render dividendos a todos: profissionais, faculdades, empresas e, principalmente, a sociedade.

Sobre as investigações em curso, o SINDJOR/MS declara seu apoio ao trabalho do Ministério Público Estadual. Caso as suspeitas que recaem sobre as pessoas citadas na lista divulgada nesta semana se confirmem, que os responsáveis sejam punidos devidamente, sejam eles empresários, publicitários, jornalistas, seja quem for, doendo a quem doer. Que os órgãos legislativos não percam a oportunidade de instalar comissões de inquérito para apurar essas denúncias em uma esfera política. Vale lembrar que alguns nomes mencionados que figuram como "jornalista", na realidade, não passam de pessoas que atuam de forma irregular, sem portar registro legal e, provavelmente, se passam por jornalistas para receberem as propinas, ou que possuem registros "precários", mantidos somente em função de um entendimento equivocado de um ministro do STF. Que tal acinte à nossa imprensa também seja observado nas averiguações. Enfim, que se restaure a responsabilidade nas redações, assessorias e demais postos de trabalho dos jornalistas. Caso contrário, a lama em que se encontra o tão idolatrado mercado de trabalho será a sentença mortal para uma profissão que, entre outras atribuições básicas, guarda como papel primordial a vigilância sobre o poder público e a observância sobre as anomalias que pairam sobre nossa humanidade.

Este sindicato coloca-se a inteira disposição para auxiliar no que for preciso para que o escândalo do "mensalão da imprensa" seja solucionado. O Conselho de Ética da entidade está de prontidão para que a sociedade reclame daqueles jornalistas que realmente desonram a atividade com atitudes descabidas que em nada coincidem com o verdadeiro exercício da imprensa, imperativo na maior parte do nosso sistema midiático, mas que se vê contundida por suspeitas e fatos tão torpes e condenáveis de uma minoria que insiste em se corromper.

Campo Grande, 13 de novembro de 2007

SINDICATO DOS JORNALISTAS PROFISSIONAIS DE MATO GROSSO DO SUL

09 novembro 2007

Jornais e TVs do Rio Grande do Norte erram em notícia sobre ação das marés


Os jornais e emissoras de TV do Rio Grande do Norte deram destaque, nesta semana, sobre a ação das marés no litoral potiguar. Nos últimos meses, o movimento das marés provocou a destruição de inúmeros imóveis construídos nas praias do estado.

Os telejornais e matérias dos jornais impressos atribuíram a situação ao desequilíbrio dos fatos naturais por causa do aquecimento global. Segundo a mídia do potiguar, o nível dos oceanos aumentou em torno de 10 cm, conforme reportagem veiculada pela Inter TV Cabugi. Que o nível dos oceanos aumentou em conseqüência da ação do homem sobre a natureza, não há dúvidas. No caso da destruição dos imóveis no litoral do Rio Grande do Norte e de outros estados do Brasil, como na cidade de Itapoá em Santa Catarina, muito se deve a ganância do homem, como diz o ditado "quem pode mais, chora menos", em construir sobre a praia. Boa parte das praias do Rio Grande do Norte e de outros estados foram invadidas pelos "donos do mar", em ação de privatização da área pública do litoral. As matérias da mídia potiguar não mostra que foi a ação do homem, ao invadir as praias, que provocou essa destruição.

legislação federal que determina distância mínima para construções no litoral, é a chamada "área de marinha". Para a maioria dos proprietários de imóveis do litoral, essa lei não existe e o poder público não tem competência para fiscalizar. Se o governo não regulamente as construções nas praias brasileiras, a natureza se encarrega disso.

O ciclo das marés simplesmente cobra sua área de volta. A natureza é implacável e agora quer a devolução das áreas invadidas pelo homem.

------------------------------------------
Nota sobre as fotos:
As duas fotos são do mesmo imóvel na praia de Camurupim (RN), a primeira é recente - outubro de 2007. A segunda é de novembro de 2006. Pelas imagens se pode avaliar bem o trabalho da natureza, do ciclo das marés!

08 novembro 2007

5º Encontro Nacional de Pesquisadores em Jornalismo começa dia 15


O 5º Encontro Nacional de Pesquisadores em Jornalismo, promovido pela SBPJor, começa no próximo dia 15 de novembro, em Aracajú. O tema central do evento é Metodologias de Pesquisa, um dos maiores desafios dos pesquisadores em jornalismo para constituir e refinar metodologias apropriadas às especificidades do objeto e capazes de interpretar as particularidades do jornalismo como prática profissional.

Uma variada programação, composta com uma conferência principal e duas mesas temáticas, pretende oferecer aos participantes uma diversidade de contribuições com o objetivo de aprimorar o debate metodológico entre os nossos pesquisadores. A conferência de abertura estará a cargo do professor Maxwell McCombs, da Universidade do Texas e um dos maiores especialistas em metodologia no campo do jornalismo na atualidade. Jornalista profissional, McCombs é autor de uma das mais importantes teorias formuladas no campo do jornalismo: a teoria do agendamento.

Nas duas mesas temáticas serão discutidos o estado da arte da pesquisa em jornalismo e a diversidade de metodologias aplicadas na atualidade pelos pesquisadores do campo. As mesas temáticas têm um duplo propósito: 1) com o levantamento do que se está fazendo no campo a SBPJor espera contribuir para dotar os colegas de uma visão global sobre a situação atual da pesquisa e 2) com a apresentação de métodos diferenciados de pesquisa a SBPJor busca socializar entre os pares as metodologias de pesquisa que são utilizadas por alguns dos mais importantes pesquisadores da área.

Confira a programação do evento no endereço: http://www.sbpjor.ufsc.br/5sbpjor/index.php?sbpjor=programa.

07 novembro 2007

Coordenação de Curso de Jornalismo e qualidade do ensino


Com o título "Coordenação de Curso e qualidade da educação" foi publicado na edição desta semana do Observatório da Imprensa, na seção Diretório Acadêmico, um artigo do professor Gerson Luiz Martins. O autor faz uma análise da realidade atual do trabalho dos coordenadores de curso de jornalismo e sua relação com a qualidade do ensino de jornalismo.

Para conferir o texto da seção Diretório Acadêmico do Observatório da Imprensa, clique aqui.
A seção Diretório Acadêmico é editada pelo jornalista Luiz Egypto.

06 novembro 2007

Circulação de jornais impressos continua em queda nos Estados Unidos


Por Marcos Palácios

Números divulgados hoje no site do Editor & Publisher relativos aos 25 maiores jornais norte-americanos mostram que, com poucas exceções, a tendência de queda de circulação se mantém, com relação ao mesmo período do ano passado.

As informações são do Audit Bureau of Circulations.

Os únicos que se mantiveram estáveis, ou com pequeníssimos aumentos ou quedas em torno de 1% foram (nos dias de semana):
USA TODAY -- 2,293,137 -- 2,269,509 -- (+1.04%)
LOS ANGELES TIMES -- 779,682 -- 775,765 -- (+0.50%)
ST. PETERSBURG (FLA.) TIMES -- 288,807 -- 288,679 -- (0.04%)
HOUSTON CHRONICLE -- 507,437 -- 508,091 – (-0.13%)
THE OREGONIAN, PORTLAND -- 309,467 -- 310,805 – (-0.43%)
THE PLAIN DEALER, CLEVELAND -- 334,195 -- 336,940 – (-0.81%)

05 novembro 2007

Manual de Laboratório de Jornalismo na Internet é o primeiro no gênero no Brasil


Por Marcos Palácios e Beatriz Ribas

Será lançado no próximo sábado, 10 de novembro, o Manual de Laboratório de Jornalismo na Internet, que reúne Exercícios e Estudos Dirigidos produzidos pelos Professores Marcos Palacios e Beatriz Ribas, entre 2005 e 2007, na Oficina de Jornalismo Digital da Faculdade de Comunicação (FACOM) da Universidade Federal da Bahia (UFBA).
A publicação é a primeira desse tipo no Brasil e destina-se a uso em sala de aula, em cursos de graduação, atualização ou aperfeiçoamento em Jornalismo e áreas afins.
Os exercícios têm caráter básico e introdutório e estão divididos em três tipos.
Os exercícios incluídos na Parte I têm objetivos claramente instrumentais: gerar ou aperfeiçoar habilidades no uso de ferramentas e utilitários, geralmente on-line, que são essenciais para tarefas jornalísticas em geral e para a realização de exercícios mais avançados de observação, crítica e reflexão (Partes II e III).
A Parte II é constituída por exercícios que exploram as características básicas do Jornalismo na Internet: Hipertextualidade, Multimidialidade, Interatividade, Personalização, Atualização Contínua, Memória.
Os exercícios na Parte III foram elaborados em torno de diversas práticas e recursos jornalísticos existentes na web.
Os autores esclarecem que os exercícios e estudos dirigidos no Manual têm o objetivo de funcionar como exemplos de atividades. A intenção é que eles sirvam de “sementes” e inspiração para a criação de outros, seja pelo desdobramento de temáticas ali tratadas, seja pela exploração de outras áreas do Jornalismo na Internet não contempladas nos exercícios da coletânea.
O Manual traz um prefácio do Prof. Elias Machado e é complementado por um site que tem por finalidade facilitar a navegação e agilizar a execução dos exercícios propostos.

Manual de Laboratório de Jornalismo na Internet
Editora: EDUFBA
Autores: Marcos Palacios e Beatriz Ribas
Local: Instituto Goethe, ICBA (Salvador - Bahia)
Dia: Sábado, 10 de novembro
Horário: 17 horas
Apoio: CNPq e FAPESB

25 outubro 2007

GOL - Conforto e a frota mais moderna do Brasil


Assim está registrado na revista de bordo da Gol, produzida pela Trip Editora: "O conforto é total: o Boeing 737-800 transporta 189 passageiros graças às modificações em sua estrutura interna". Com certeza a estrutura interna foi remodelada, uma aeronave que pode, no máximo, alojar confortavelmente 162 passageiros, foi alocada para 189. O espaço entre as poltronas não passa de 20 cm. Isso faz com que quando o passageiro da sua frente recline a poltrona, você corre um sério e real risco de quebrar o nariz. Há alguns anos era possível trabalhar durante as viagens mais longas com um notebook, hoje isso é impossível, não dá para abrir o computador, você não consegue olhar para a tela, que fica tampando o teclado. Veja a foto acima, do lado direito. Se quiser pode clicar nela e ampliar para visualizar melhor.

Outro fator de conforto para o passageiro da Gol se traduz nos também confortáveis toillets. Eles têm um sensível, forte, e com certeza ao gosto dos proprietários da empresa e da tripulação, odor de urina. Em 100% dos vôos da Gol, o toillet fede, esse é o melhor adjetivo para o forte cheiro exalado.

Há ainda outro fator de conforto na "frota mais moderna do Brasil", enquanto em solo os passageiros têm a sensação "agradável", proporcionada pela Gol, de estar no deserto do Saara sob o sol das 12 horas. Para complementar o conforto do passageiro, a empresa determinou não utilizar o ar condicionado em solo. O ar só pode ser ligado quando em altitude de cruzeiro, quando a temperatura externa atinge a casa dos 50º C - negativos. Segundo um tripulante da Gol, nessa altitude o equipamento de ar condicionado funciona melhor. Por que será hem?

A "frota mais moderna do Brasil" tem idade média de 15 anos, basta verificar as plaquetas de fabricação que estão fixadas na porta de entrada da aeronave.

Para finalizar, todos esses confortos que a empresa proporciona, além é claro da clássica barrinha de cereais, que virou piada em todo país, as tarifas não são diferentes dos concorrentes. O consumidor pode, se quiser, receber todo esse "conforto", conscientemente assumido, em troca de uma tarifa menor. No entanto as tarifas subiram e o "conforto"continua o mesmo, até pior.

Tenho que parar, pois se abrir espaço para todos os "confortos" da Gol Linhas Aéreas, a relação seria muito extensa: atrasos, perda de bagagem, cancelamento de reservas antes do "no show", e muitos outros.

22 outubro 2007

Presidente do FNPJ recebe homenagem dos professores de jornalismo de São Paulo


O presidente do Fórum Nacional de Professores de Jornalismo, Gerson Luiz Martins, recebeu na última sexta-feira, dia 19, homenagem dos professores de jornalismo do estado de São Paulo, durante o 3º Encontro Paulista de Professores de Jornalismo, realizado na Unimep em Piracicaba. Também foi homenageado na ocasião o professor Dr. José Marques de Melo, presidente da Intercom.

O professor José Marques de Melo, no pronunciamento da sessão solene de homenagem disse que em 1994, "lancei o desafio para se arregimentar a comunidade dos professores de jornalismo, em defesa da autonomia pedagógica da área. Essa bandeira de luta foi empunhada pela equipe sob a liderança de Gerson Luiz Martins, vindo a constituir-se como Fórum Nacional dos Professores de Jornalismo, durante o Seminário de Campinas (1997), que influiu decisivamente nas Diretrizes Curriculares Nacionais instituídas pelo Conselho Nacional de Educação (2001)".

Novo Grupo de Pesquisa em Jornalismo Digital na UFSC


Por Elias Machado, UFSC

O Mestrado em Jornalismo da UFSC acaba de ganhar mais um grupo de pesquisa certificado pelo CNPq: O Laboratório de Pesquisa Aplicada em Jornalismo Digital. O Lapjor tem como objetivos: 1) Realizar estudos teóricos sobre Jornalismo Digital2) Desenvolver tecnologia para o jornalismo digital3) Formar recursos humanos em jornalismo digital4) Estabelecer cooperação com o sistema produtivo5) Articular ensino, pesquisa e extensão no DEJOR.

Atualmente, o Lapjor conta com três pesquisadores, dois estudantes de iniciação (PIBIC/CNPq) e dois mestrandos em Jornalismo. Apoiado pelo CNPq, com recursos do Edital de Ciências Sociais, Humanas e Aplicadas, o Lapjor pretende constituir um pólo de referência na pesquisa em jornalismo digital na UFSC. Os pesquisadores do Lapjor participam de redes nacionais e internacionais de pesquisa financiadas pelo CNPq e CAPES.

21 outubro 2007

Professores de Jornalismo de São Paulo reforçam importância do estágio


Os professores de jornalismo do estado de São Paulo, reunidos no 3º Encontro Paulista de Professores de Jornalismo, destacaram a necessidade da regulamentação do estágio nos cursos de jornalismo. A proposta, elaborada no 1º Encontro de Coordenadores de Curso de Jornalismo do estado, foi apresentada e aprovada na plenária do 3º Encontro realizada na Unimep em Piracicaba, nos dias 19 e 20 de outubro.

O documento será encaminhado à direção nacional do FNPJ, para ser discutida no 2º Encontro Nacional de Coordenadores de Curso de Jornalismo que acontece no 11º Encontro Nacional de Professores, na Universidade Mackenzie, entre os dias 18 e 21 de abril de 2008, com o tema Perfil e condições para a docência em Jornalismo.

Mais informações em www.fnpj.org.br.

16 outubro 2007

Professores de Jornalismo de São Paulo fazem homenagem ao Dr. José Marques de Melo


Os professores de jornalismo de São Paulo realizam homenagem ao professor Dr. José Marques de Melo, durante a solenidade de abertura do 3º Encontro Paulista de Professores de Jornalismo, que acontece em Piracicaba, entre os dias 19 e 20 de outubro. Também receberá homenagem, o presidente do Fórum Nacional dos Professores de Jornalismo, professor Dr. Gerson Luiz Martins.

Segundo o coordenador local do evento, professor Dr. Paulo Roberto Botão, as homenagens aos professores é devido a contribuição de ambos para a organização dos professores de jornalismo no Brasil. O professor Marques de Melo foi o organizador do Seminário de Atualização para Professores de Jornalismo, realizado pela Labjor/Unicamp, em abril de 1994, evento que marcou o início do Fórum de Professores, que se institucionalizou 10 anos depois, em 2004.

Mais informações sobre o 3º Encontro Paulista de Professores de Jornalismo, no endereço www.fnpj.org.br/3eppj.

15 outubro 2007

Encontro Paulista de Professores de Jornalismo divulga trabalhos aceitos


O 3º Encontro Paulista de Professores de Jornalismo, que acontece na Unimep nos dias 19 e 20 de outubro, terá a apresentação de 44 relatos de pesquisa e ensino. As apresentações acontecem no dia 20, no período da tarde, em 11 sessões paralelas com média de quatro exposições por sessão.

Os relatos foram encaminhados por professores de 27 instituições de ensino superior do Estado de São Paulo, do interior e campital, que mantém cursos de jornalismo. As escolas que enviaram maior número de trabalhos, pela ordem, foram: Universidade Presbiteriana Mackenzie (9); Unimep e Unesp de Bauru (7) e PUC-Campinas (3).

A relação completa de trabalhos e as sessões de apresentação podem ser conferidos no site do evento, no link "programação'.

O evento tem início da sexta-feira, 19, às 15 horas, com o I Encontro de Coordenadores de Curso de Jornalismo do Estado de São Paulo, que vai debaer o tema "Estágio Acadêmico". No mesmo dia, a partir das 19h30, no Teatro Unimep, acontecem uma sessão de homenagens ao Prof. Dr. José Marques de Melo (presidente da Intercom) e ao Prof. Dr. Gerson Luiz Martins (presidente do FNPJ), e a conferência Brasil Digital: Televisão e Rádio, que será proferida pelo jornalista e prof. da ECA/USP André Barbosa Filho, assessor especial da Casa Civil.

O 3º Encontro Paulista de Professores de Jornalismo é uma promoção do Fórum Nacional de Professores de Jornalismo, numa realização do Curso de Jornalismo e Faculdade de Comunicação da Unimep.

As inscrições para participação no Encontro podem ser feitas até o dia 19/10.

Mais informações:

Site do Encontro: www.fnpj.org.br/3eppj
E-mail: 3eppj@fnpj.org.br
Fones: (19) 3124.1676 ou 3124.1677

___________________________________
Foto: Coordenador do 3º Encontro Paulista de Professores de Jornalismo, professor Dr. Paulo Roberto Botão

14 outubro 2007

Programa da Andi promove 1º Colóquio Mídia e Agenda Social


O Programa InFormação, realizado pela Agência de Notícia dos Direitos da Infância - ANDI, promove de 17 a 19 de outubro o I Colóquio Mídia & Agenda Social. O evento irá reunir estudantes, acadêmicos, jornalistas, membros de órgãos reguladores e outros atores da sociedade civil com o objetivo de discutir a interface entre a comunicação e as questões sociais brasileiras.

A coordenação do Programa InFormação realiza ainda nesse período o 2º Encontro do Conselho Consultivo. Esse conselho é constituído por alguns dos principais pesquisadores e professores da área de Comunicação e políticas públicas sociais, além de membros de associações científicas e instituições de fomento da área. Ao mesmo tempo em que pode contribuir para o aperfeiçoamento das ações desenvolvidas pela Coordenação de Relações Acadêmicas, o Conselho Consultivo permite uma interação mais ativa entre seus integrantes, de modo a potencializar a troca de experiências, projetos e pesquisas que tenham como foco a interface entre a Comunicação e a agenda social brasileira.

O Conselho Consultivo do Programa InFormação da ANDI é composto por profissionais, professores e pesquisadores da área de comunicação e jornalismo. São membros do Conselho Consultivo:
Âmbar de Barros - Andi
Ana Maria Andrade de Azevedo
Ana Prado - Unama/FNPJ
Beatriz Bretas
Christa Berger - UFRGS
Clóvis de Barros Filho - Cásper Líbero
Cristina Ponte - UNL
Edson Spenthof - UFG/FNPJ
Gerson Luiz Martins - UFRN/FNPJ
Inês Vitorino Sampaio -
José Coelho Sobrinho - ECA-USP
Luiz Egypto de Cerqueira - Observatório da Imprensa
Luiz Gonzaga Motta - UnB
Luiz Martins da Silva - UnB/FNPJ
Maria Carolina Trevisan -
Maria Helena Weber - UFRGS
Maria Inês Bastos - Unesco
Mauro Porto -
Nelia R. Del Bianco - UnB
Sonia de Alencar Serra - UFBA
Sonia Virgínia Moreira - UERJ
Valci Zuculoto - UFSC/FNPJ
Zezé Weiss -

Chapa liderada por Carlos Franciscato é única inscrita para eleições na SBPJor


A Chapa Diálogo, liderada pelo professor Carlos Eduardo Franciscato, é a única inscrita para as eleições de renovação da diretoria da Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo - SBPJor. A votação acontece durante o 5º Encontro Nacional de Pesquisadores em Jornalismo, em Aracajú, entre os dias 15 e 17 de novembro.

Segundo o Programa divulgado, a Chapa pretende dar continuidade nas ações da atual diretoria, além de atuar no fortalecimento do "estatuto disciplinar" da área de jornalismo, base para o reconhecimento científico da área. O programa ainda reforça a necessidade do diálogo com as demais entidades do campo da comunicação e "pela valorização da diversidade e reconhecimento às especificidades da área".

A Chapa Diálogo é composta pelos seguintes pesquisadores:
Presidente: Carlos Eduardo Franciscato - UFS
Vice-presidente: Claudia Quadros - UTP
Diretora Científica: Márcia Benetti - UFRGS
Diretora Administrativa: Claudia Lago - Anhembi-Morumbi
Diretora Editorial: Tattiana Teixeira - UFSC

Conselho Administrativo:
Kênia Maia - UFRN
Márcia Amaral - UFSM
Rogério Christofoletti - Univali

Conselho Científico:
Alzira Abreu - FGV
Antonio Hohlfeldt - PUC-RS
Francisco Karam - UFSC
Guilherme Rezende - UFSJ
José Salvador Faro - Umesp
Sonia Virginia Moreira - UERJ
Zélia Leal Adghirni - UnB

Mais informações no sítio web da SBPJor, no endereço: www.sbpjor.org.br.

Professores de Jornalismo do Paraná e Santa Catarina divulgam Carta de Guarapuava


Os professores de jornalismo do Paraná e de Santa Catarina, reunidos durante o 3º Encontro de Professores de Jornalismo do Paraná e 1º Encontro de Professores de Jornalismo de Santa Catarina, divulgaram na última terça-feira a Carta de Guarapuava com os pontos e temas resultado dos debates ocorridos no evento. Segundo o Diretor Regional Sul do FNPJ, Sérgio Gadini, a próxima edição do Encontro PR-SC acontece no IELUSC, em Joinville/SC, em princípio no mês de outubro de 2008, com apoio do SJPPR e SJPSC.

Confira os principais resultados do evento que teve abertura com conferência do jornalista Marcelo Beraba da Folha de São Paulo.

Plenária Final

- Próxima edição do Encontro PR-SC acontece no IELUSC, em Joinville/SC, em princípio no mês de outubro de 2008, com apoio do SJPPR e SJPSC. Ficou aprovado o indicativo de que, a partir do próximo Encontro, será avaliada a possibilidade de realizar o evento a cada dois anos.

- Memória bibliográfica (digital, impressa, talvez em vídeo) dos 10 anos do FNPJ. Reitor da UNICENTRO se dispôs a custear impressão da publicação. Proposta a ser apresentada ao FNPJ. Sistematizar uma versão inicial para apresentar no Encontro Nacional (abril 08). Juntar fotos, vídeos, textos (tanto de palestras quanto de papers, cartas, manifestos, documentos etc) para elaborar uma prévia. Um grupo formado pelos professores Tomas (UNICENP), Rozinaldo (UEL) e Márcio (UNICENTRO) ficou de pensar um proposta para edição.

GT Impressos (Tomás): 5 trabalhos
GT Produção Laboratorial Eletrônicos (Ana Paula): 4 trabalhos
GT Pesquisa na Graduação (Rozinaldo): 7 trabalhos
GT Extensão (Zaclis) e GT Ética no Ensino (Elisa): 9 trabalhos
GT Projetos Pedagógicos e Metodologias do Ensino (Márcio): 6 trabalhos

Após discussões, ficou aprovado que os trabalhos apresentados por estudantes devem ter um professor, não apenas como co-autor, mas presente no momento da apresentação. Sugeriu-se, ainda, que os autores devem apresentar apenas um trabalho, evitando o deslocamento de participantes entre diferentes GTs. Não se trata de excluir os estudantes, mas de comprometer os professores, seja na produção autoral, quanto na apresentação e, pois, no debate que o evento deve propiciar. Tal decisão já considera que a orientação do FNPJ é de apenas um trabalho no evento, com texto completo, podendo ser em co-autoria e, pois, com a participação de estudantes, uma vez que muitos dos referidos trabalhos são resultados, parciais ou conclusivos de pesquisa realizada. Foi aprovado, ainda, que os trabalhos devem ser enviados na íntegra e não em duas etapas, resumo e depois o texto completo. Quanto ao sistema, a coordenação do evento em 2007 sugere que o mesmo seja revisto.

Foi aprovado, também por unanimidade, a junção dos GTs de Impressos e Produção Laboratorial Eletrônicos num único grupo. Sugeriu-se, ainda, a indicação, ao FNPJ, de valorização do GT de Extensão, dado a importância e desafio em aliar ensino com atividades de extensão como possibilidade de qualificar o ensino. É fundamental prestigiar o GT de Extensão. E aí também é importante a participação dos estudantes envolvidos nos referidos trabalhos. As coordenações de GTs ficaram com as mesmas indicações vigentes. Os atuais coordenadores, no entanto, indicaram que, caso algum docente do IELUSC, que vai sediar a próxima edição do Encontro, tenha disposição, a troca poderá ser feita pela lista de discussão ou por e-mail. O representante do SJPPR, que integra a Comissão Nacional em Defesa da Obrigatoriedade do Diploma para o exercício do Jornalismo, solicitou apoio dos participantes no Encontro. Proposta que foi aceita por unanimidade.

Carta de Guarapuava

Os professores e estudantes presentes no III Encontro Paranaense de Professores de Jornalismo e I Encontro de Professores de Jornalismo PR-SC, eventos realizados, simultaneamente, em Guarapuava-PR, entre os dias 5 e 6 de outubro de 2007, reafirmam o compromisso em defesa da qualidade do ensino e, pois, a uma formação profissional em sintonia com demandas sociais de informação, sem ficar restritos à lógica do mercado. O questionamento ao sistema de avaliação do ensino superior (SINAES) é um dos pontos que os professores precisam discutir, inclusive para pensar formas de cobrar dos órgãos governamentais responsáveis e, ao mesmo tempo, buscar mecanismos paralelos e próprios de avaliação em Jornalismo, seja do ponto de vista das instituições que ofertam cursos como também do nível de ensino e formação profissional. Por fim, os participantes ratificaram a defesa da obrigatoriedade do diploma para o exercício em jornalismo, como uma das formas de legitimar a produção de uma informação de qualidade e efetivamente preocupada com as lutas sociais, demandas da informação e ampla defesa da condição de cidadania.

Guarapuava, 6 de outubro de 2007.

-----------------------
Foto: Representante do Sindijor-PR, Márcio Rodrigues; Reitor da Unicentro, Vitor Hugo Zanette; Presidente do FNPJ, Gerson Luiz Martins e Coordenadora do Curso de Jornalismo da Unicentro, Elisa Leonardi.

04 outubro 2007

Paris lança internet de graça em parques e praças


Do sítio da BBC Brasil, por Daniela Fernandes

O internauta, parisiense ou turista, poderá utilizar o sistema durante os horários de abertura desses locais, mas em alguns lugares, como a esplanada da prefeitura ou o Champs de Mars, onde está situada a Torre Eiffel, o serviço vai funcionar continuadamente.
Segundo a prefeitura, o objetivo é transformar Paris em “uma cidade de ponta na área de comunicação digital”, ampliando o sistema de conexões de alta velocidade e oferecendo também um “serviço de internet universal”.
Para usufruir da internet sem fio, basta ir a uma das áreas identificadas com placas ou cartazes, e se aproximar do ponto de acesso. Alguns locais possuem vários pontos de conexão, que totalizam 400 em toda a cidade.

Disputa judicial

O projeto custou 1,7 milhão de euros (cerca de R$ 4,4 milhões) e as despesas com manutenção anual do sistema devem ser de 500 mil euros (cerca de R$ 1,3 milhão).
O programa, no entanto, resultou numa disputa judicial entre a prefeitura e a estatal France Télécom, que instalou 3 mil pontos de conexão sem fio pagos na capital francesa.
A France Télécom entrou com uma ação em um tribunal administrativo com o objetivo de impedir a oferta do serviço, alegando que a iniciativa desrespeita a lei das coletividades territoriais.
Esta legislação prevê que uma prefeitura não pode entrar em concorrência com operadores, a não ser que a oferta privada seja insuficiente.
A prefeitura de Paris argumenta em sua defesa que o sistema não cobre toda a cidade, mas oferece apenas alguns pontos de conexão em locais precisos.
A licitação, lançada em 2006, foi vencida pelo operador de telefonia celular SFR, que garante a conexão, e pela Alcatel-Lucent, que forneceu os equipamentos.
Também estão sendo realizados testes para desenvolver um mobiliário urbano adaptado ao uso da internet, com bancos e cadeiras que tenham pranchas para colocar o computador e tomadas alimentadas por energia solar.
O site pariswifi.fr informa sobre os locais onde o serviço está disponível. O prefeito de Paris, Bertrand Delanoë, que anunciou que vai concorrer nas eleições municipais de 2008 poderá, com a internet sem fio gratuita, engordar a lista de ações que o popularizaram, como a “Paris Plage”, a “praia” que é criada no centro de Paris no verão, e o Vélib, serviço de aluguel de bicicletas lançado em julho e que já atraiu milhões de usuários.

03 outubro 2007

13ª Cientec abriu com Congresso de Iniciação Científica


A 13ª Semana de Ciência e Tecnologia da UFRN abriu, nesta quarta-feira, 3 de outubro, com a primeira fase do 18º Congresso de Iniciação Científica da universidade. A Cientec é uma atividade que reúne feira de ciência e tecnologia, congresso de iniciação científica e inúmeros projetos de extensão e de ensino da UFRN. O evento termina na sexta-feira, 5 de outubro com dezenas de atividades paralelas.

A Praça Cívica do Campus da UFRN (foto) concentra a maioria dos eventos e é o local onde a Cientec pulsa com maior intensidade.

A abertura oficial do evento e do 18º Congresso de Iniciação Científica aconteceu na terça-feira, às 19h, no auditório da Reitoria. O secretário de Articulação Institucional e Cidadania Ambiental, do Ministério do Meio Ambiente, Hamilton Pereira da Silva, fez palestra de abertura Conhecimento, Ambiente, Vida, tema central da CIENTEC 2007.

Informações sobre a 13ª Cientec no endereço: www.cientec.ufrn.br.

UFRN promove Seminário sobre Mídia Digital


A superintendencia de comunicação da UFRN promove, nesta quinta-feira, 4 de outubro, Seminário Novas Mídias Digitais: Impactos e Tendências. O evento faz parte das atividades da 13º Cientec - Semana de Ciência, Tecnologia e Cultura da Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Segundo informações da Agência de Comunicação da UFRN, a abertura acontece às 9hoo, e terá as presenças da pró-reitora de Graduação, professora Virgínia Dantas de Araújo, da diretora de Relacionamento com Universidades do Universia Brasil, Mônica Miglio, e da superintendente de Comunicação da UFRN, professora Josimey Costa (foto). Às 9h45, haverá o primeiro painel sobre Educação a distância e o vídeo na era digital, com as professoras da UFRN, Mirian Moema Filgueira Pinheiro, do Departamento de Comunicação Social, e Vera Lúcia Amaral, secretária de Educação a Distância.

À tarde, a partir das 14h, o professor Guido Lemos, da Universidade Federal da Paraíba, abre o segundo painel, sobre Middleware. Em seguida, um debate com o tema Tecnologia e novos formatos para TV Digital, com os professores José Carlos Aronchi de Souza, do Departamento de Comunicação Social, e Assis Carlos Fernandes, do Departamento de Engenharia Elétrica.

Foto: Profa. Dra. Josimey Costa, superintendente de comunicação da UFRN

02 outubro 2007

Encontro Paulista de Jornalismo abre inscrições para estudantes


A Coordenação Local do 3º Encontro Paulista de Professores de Jornalismo, que acontece na Unimep nos dias 19 e 20 de outubro, decidiu abrir a possibilidade de participação de estudantes de jornalismo no evento. Ao todo serão disponibilizadas 100 vagas nesta categoria.

A iniciativa levou em conta a decisão tomada no 10º Encontro Nacional de Professores de Jornalismo, promovido pelo FNPJ (Fórum Nacional de Professores de Jornalismo) em abril deste ano, que facultou aos encontros estaduais permitir a participação de estudantes da área nos eventos. O próprio Encontro Nacional contou com presença significativa de alunos.

A taxa de inscrição para os alunos será a mesma cobrada dos demais participantes não sócios do FNPJ, ou seja, R$ 25,00, e a inscrição deverá ser feita no site do evento. Os alunos poderão participar de todas as atividades do Encontro (conferência de abertura, mesa-redonda e grupos de trabalho), exceto o Encontro de Coordenadores de Curso (sexta-feira à tarde) e a assembléia de encerramento (sábado às 17h00).

As inscrições podem ser feitas até o dia 18/10 e as vagas são limitadas (100).

Mais informações e inscrições: www.fnpj.org.br/3eppj
Fones: (19) 3124.1676 - 3124.1677
E-mail: 3eppj@fnpj.org.br

-----------------
Foto: Prof. Paulo Roberto Botão, coordenador do 3º Encontro Paulista de Professores de Jornalismo.

Um retrato dos estudantes de jornalismo da Universidade do Missouri


Foto publicada pelo Blog MacMagazine revela em que condições os estudantes de jornalismo da Universidade do Missouri (Missouri School of Journalism) trabalham. Um detalhe: a maioria com notebooks da Apple. Por que? A Apple tem um programa educacional que fornece, nos Estados Unidos, notebooks a preços muito acessíveis para estudantes, professores e pesquisadores. E digo a vocês, pois tenho um notebook MacBook Pro, não há comparação com um PC, nem de perto, o macbook é muito superior.

Nas aulas de Ciberjornalismo que desenvolvo na UFRN temos um caminho incipiente nesse aspecto. Todos os alunos da disciplina têm, individualmente, computadores (desktop) pc, o que é uma grande melhoria em relação a muitos outros cursos. São computadores pc's, afinal ninguém é perfeito.

O trabalho dos alunos de Ciberjornalismo, desenvolvido por meio do projeto Escola da Prática, da UFRN pode ser conferido em www.webjornalismo.jor.br.

Divulgado relação de trabalhos do Encontro de Professores de Jornalismo do Paraná e Santa Catarina


O coordenador local do 3º Encontro de Professores de Jornalismo do Paraná e 1º Encontro de Professores de Jornalismo de Santa Catarina, professor Márcio Fernandes, divulgou a relação dos trabalhos que serão apresentados no evento. O encontro acontece em Guarapuava (PR) entre os dias 5 e 7 de outubro, no Hotel Spa Med Vale. O presidente da Abraji e ex-ombudsman da Folha de S.Paulo, jornalista Marcelo Beraba (foto), fará a conferência de abertura do evento que terá como tema "Ensino do Jornalismo: profissionalização, mercado e avaliação de cursos".

Segundo Márcio Fernandes, foram 30 trabalhos inscritos, número que revela o crescimento do encontro e o interesse dos professores em debater experiências e questões que afetam suas atividades no cotidiano da formação do jornalista.

As inscrições podem ser realizadas até o dia 5 de outubro, pela internet no endereço: http://www.fnpj.org.br/soac/ocs/index.php?cf=5. Estudantes de jornalismo podem participar e fazer a inscrição nesse mesmo endereço. Se preferir, clique no link para acessar o sítio web do Encontro.

Confira aqui (PDF) a relação dos trabalhos inscritos no 3º Encontro de Professores de Jornalismo do Paraná e 1º Encontro de Professores de Jornalismo de Santa Catarina.

Abraji

A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo foi criada por um grupo de jornalistas brasileiros interessados em trocar experiências, informações e dicas sobre reportagem, principalmente sobre reportagens investigativas.
A iniciativa nasceu no seminário 'Jornalismo Investigativo: Ética, Técnicas e Perigos'. O evento foi organizado pelo Centro Knight de Jornalismo nas Américas, da Universidade do Texas, dirigido pelo jornalista brasileiro Rosental Calmon Alves. No final, vários de nós passamos a nos perguntar porque não temos ainda no Brasil uma instituição parecida com a IRE (Investigative Reporters & Editors), criada pelos jornalistas dos Estados Unidos, ou o Centro de Periodismo de Investigación, de nossos colegas mexicanos.

Tema do Encontro
O tema do 3º Encontro de Professores de Jornalismo do Paraná foi proposto pelo Diretor Regional Sul do FNPJ, professor Dr. Sérgio Luiz Gadini e depois acatado pelo professores de Santa Catarina durante o 10º Encontro Nacional de Professores de Jornalismo, quando decidiram agregar esforços e realizar os dois encontros em mesmo local e data. O tema reflete a preocupação dos professores de jornalismo dos dois estados sobre a qualidade do ensino e a inserção dos novos profissionais no mercado de trabalho.

01 outubro 2007

SBPJor divulga ganhadores do Prêmio Adelmo Genro Filho


A Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo, SBPJor, divulgou nesta segunda-feira, os ganhadores do Prêmio Adelmo Genro Filho. Criado pela SBPJor em 2004 a premiação tem como objetivo homenagear aos pesquisadores que mais contribuíram para a consoldiação do jornalismo como área científica.

Confira a nota da coordenadora do Prêmio, professora Márcia Amaral da UFSM:

A Sociedade Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo revela os resultados do Prêmio Adelmo Genro Filho – edição 2007. A coordenadora do prêmio, professora Márcia Franz Amaral, da Universidade Federal de Santa Maria, informa que houve 30 trabalhos de 24 instituições diferentes inscritos nas categorias Iniciação Científica, Mestrado, Doutorado e Sênior. A entrega do Prêmio será feita durante o 5º Encontro Nacional de Pesquisadores em Jornalismo, na cidade de Aracaju (SE), de 15 a 17 de novembro.
As Comissões Julgadoras das categorias Iniciação Científica, Mestrado e Doutorado foram formadas de cinco membros, designados pela coordenadora da premiação, sendo quatro membros entre os sócios plenos (doutores) da entidade, e o quinto membro escolhido entre os integrantes do Conselho Cientifico da SBPJor. A categoria sênior foi julgada pelo conjunto dos membros do Conselho Científico e da diretoria executiva da SBPJor.
As Comissões avaliaram os seguintes quesitos: mérito científico, adequação ao campo do jornalismo, metodologia, originalidade, uso correto da bibliografia, inovação conceitual/teórica ou experimental/aplicada sobre o jornalismo.
Os vencedores foram os seguintes:

Categoria: Sênior
Profa. Dra. Christa Berger
Universidade do Vale do Rio dos Sinos

Categoria: Doutorado
Título do Trabalho: Uma trajetória em redes: modelos e características operacionais das agências de notícias: modelos e características operacionais das agências de notícias, das origens às redes digitais: com estudo de caso de três agências de notícias
Autor: José Afonso da Silva Júnior
Orientador: Marcos Silva Palácios
Instituição: Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia

Categoria: Mestrado
Título do Trabalho: A qualidade da informação jornalística: uma análise da cobertura da grande imprensa sobre os transgênicos em 2004
Autor: Carina Andrade Benedeti
Orientador: Luiz Gonzaga Figueiredo Motta
Instituição: Mestrado em Comunicação/Universidade de Brasília (UnB)

Categoria: Iniciação Científica
Título do Trabalho: O uso da infografia na revista Saúde!
Autor: Elaine Aparecida Manini
Orientador: Tattiana Teixeira
Instituição: Universidade Federal de Santa Catarina

*Menção Honrosa na categoria Iniciação Científica
Título do Trabalho: Nuances de Análise Histórica do Jornalismo: homens, mulheres e a cidade nas páginas do Diário dos Campos (1910-1923)
Autor: Felipe Simão Pontes
Orientador: Sérgio Luiz Gadini
Instituição: Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG

Foto: Adelmo Genro Filho, jornalista, professor e pesquisador em jornalismo que dá nome ao prêmio.

TV digital. Consumidor deve aguardar antes de comprar


Conforme informações postadas no dia 29 de setembro, a cada dia há mais razões para que o consumidor não cometa a besteira de comprar seu aparelho de TV agora, mesmo com tantas promoções e a tão sonhada TV de "plasmas/lcd" com preços acessíveis.

Veja a notícia de hoje publicada pela Folha OnLine, na sessão de informática, sobre a TV de 3 milímetros que a Sony vai lançar no mercado em dezembro. E muito mais coisas há de surgir nesse mercado. O consumidor brasileiro não pode, novamente, ser depósito de "lixo", de equipamentos velh0s, como aconteceu quando surgiu o telefone celular em terras tupininquins. Os primeiros aparelhos de celular que apareceram por aqui eram o "lixo" norte-americano e europeu.

Confira a notícia da Folha OnLine no endereço: http://www1.folha.uol.com.br/folha/informatica/ult124u332914.shtml

Televisão e internet: a convergência define o futuro


Artigo publicado por Juan Francisco Alonso - De la cultura al nuevo hipertexto - no jornal ABC Digital (ABCD), sugerido pelo Blog E-Periodistas de Ramón Salaverría, destaca os próximos passos, em andamento, da convergência entre a televisão e internet, que determinará o fim do modelo atual de TV e implicará, segundo o autor, numa nova forma de ver televisão, com a escolha do que assistir realizada pela audiência, que Juan Alonso chama de espectador-realizador.

O autor chama a atenção para a afirmação de Salaverría sobre as possibilidades de convergência entres essas duas mídias. No texto Alonso diz que "según Ramón Salaverría, profesor de la Universidad de Navarra, la velocidad de conexión y la modesta penetración de la banda ancha retrasaron el debate audiovisual. «En los últimos dos años, eso ha cambiado. Los archivos de imágenes pesan mucho menos con mayor calidad, y en España ya hay casi ocho millones de líneas de ADSL. En ese tiempo surgió el fenómeno YouTube, apenas una meta volante en la nueva ruta -continúa-. El final previsible es una televisión en el ordenador de una calidad análoga a la convencional, pero con al menos dos grandes diferencias: el dominio del espectador sobre el contenido y el uso de la hipertextualidad igual que en internet»".

Num futuro muito próximo, até mesmo neste momento existente, as pessoas assistirão TV nas telas dos computadores, telefones celulares e outros dispositivos, mas não a programação que se conhece hoje, mas sim aquela escolhida pela audiência que poderá "navegar" na programação conforme seus objetivos e necessidades.

Confira o artigo completo em: http://www.abc.es/abcd/noticia.asp?id=8114&num=817&sec=39

30 setembro 2007

Diretores do The Guardian e de El País analisam o futuro do jornalismo e do ciberjornalismo


Em reportagem do jornal El País, os diretores dos jornais britânico The Guardian, Alan Rusbridger e espanhol El País, Javier Moreno falam sobre o futuro do jornalismo com o crescimento da internet.

Para Javier Moreno, a internet não é uma ameaça, diz ele que "internet va a salvar el periodismo. Ahora la Red consigue más audiencia, más influencia que nunca. Si logramos trasladar a Internet ese lugar de debate y discusión estaremos haciendo un gran servicio a la sociedad".

Alan Rusbridger destaca que "ahora mismo la presión de los debates sociales está en Internet. Los lectores de The Guardian y EL PAÍS quieren foros, quieren participar, debatir la actualidad, y si no se lo ofrecemos nosotros, los buscarán en otro sitio".

Confira a matéria completa em: www.elpais.com

29 setembro 2007

TV digital. Consumidor deve estar atento para compra de aparelho de TV


Consumidor deve ficar atento para a aquisição de aparelho de TV nestes tempos. As indústrias estão, literalmente, desovando estoques de aparelhos, principalmente dos chamados LCD e plasma. Em pouco tempo esses aparelhos tiveram uma queda muito grande de preço e interessa para as indústrias forçar o consumidor a comprar.

Motivo: com a chegada da TV digital um novo estoque de aparelhos estará saindo das fábricas nos próximos meses. A sua TV novinha, de LCD ou plasma vai ficar muito velha em questão de dias! Pense nisso! Então este não é o momento para trocar sua TV analógica, de tubo; espere mais um pouco e com uma pouco mais de dinheiro, talvez aquele que você juntou ou conseguiu com sacrifício para compra a tão sonhada TV de plasma ou LCD, seja utilizado para comprar sua nova TV digital.

O consumidor vai perceber, deve pensar um pouco, que as TVs de lcd e plasma baixaram mais de 50% em menos de três meses. O comércio e a indústria sabem que têm que empurrar esses aparelhos para você, para esgotar o estoque das fábricas de uma TV nova que chega muito velha.